Cães farejadores ajudam CAEMA na apreensão de Armas e Drogas

O quartel da CAEMA – Companhia de Ações Especiais da Mata Atlântica, em Posto da Mata, distrito do município de Nova Viçosa, acaba de ganhar um canil “bom pra cachorro”. Trata-se de um reforço extraordinário que os policiais militares da CAEMA estão ganhando com a chegada dos incansáveis cachorros que vêm se destacando no vasculhamento das comunidades farejando armas, drogas e explosivos, busca e captura de pessoas e para alcançar o bom desempenho, os cães treinam diariamente.

O comandante da CAEMA, major Anacleto França, apresentou à equipe do Teixeira News, a figura da “Daick”, uma cadela da raça pastor belga malinois, de 4 anos de idade, a primeira que chegou ao quartel, com uma capacidade superior de farejar 400 vezes a mais do que o homem e é capaz de encontrar um objeto ilícito em menos de 2 minutos em um espaço comparado a uma residência mobiliada, o que uma equipe de policiais poderia levar até 2 horas para fazer o mesmo serviço.

A cadela policial “Deick” é especializada em intervenção tática para encontrar armas, drogas e explosivos por meio do faro. Para tanto, “Deick” que é uma cadela capixaba, se adaptou bem em terras baianas e está recebendo tratamento de princesa na CAEMA, com espaço de tratamento só pra ela, área de treinamento, atendimento veterinário e um cardápio nutritivo, além do carinho especial dos seus treinadores, o 1º tenente Júlio e o soldado Douglas.

Segundo o comandante, major Anacleto França, o plano é aumentar o número de cães policiais neste primeiro momento para até 10. “É um trabalho árduo, em que se busca tirar proveito das duas principais características dos cães que desempenham essa função: faro apurado e personalidade curiosa. Antes de meter as fuças em malas, carros ou pessoas, em geral nos locais de grande fluxo de gente ou mercadorias, como aeroportos, terminais rodoviários ou imóveis com aglomerados de pessoas -, eles passam por meses de ralação, quando aprendem a identificar os diversos tipos de drogas e a se comportar em público”, disse o major França.